quarta-feira, 16 de julho de 2008

DES (A) TRAVESSADA- de Edinara Leão

o pano da tarde
escorregou vísceras
de açoite

eu me contatava com o rio
não podia ver as
teias do mar

teci redes
de eterna ausência
e, atravessada de tua passagem,
por minhas mãos,

desfiz a travessia
embarquei no nada
e nunca mais
desagüei


Edinara Leão escreveu Minhas faces (1990), (a)mostragem (2000) Fragmentos e Quando sopram os trigais (2005) e Estética e transcendência em O estudante empírico, de Cecília Meireles (2007). Nasceu em 30 de outubro de 1968. Escreve desde os 12 anos, participa de mais de oitenta coletâneas. Possui doze troféus literários. Foi “Escritora do ano” três vezes em São Luiz Gonzaga. Mestra pela UPF e doutoranda em Estudos Literários pela UFSM. Reside em Santa Maria. É mãe de Mirela, Pablo, Pâmela e Pedro. Vó de Bernardo. Recebeu o 2º lugar no concurso “Com a palavra, os professores do Brasil” em 2008, no Rio de Janeiro. Idealizou e coordena o Movimento virArte.
e-mail: edinaraleao@yahoo.com.br
blog: http://edinaraleao.blogspot.com/
site: http://br.geocities.com/ruidosdegarca/

Um comentário:

Gerana disse...

Gostei demais!Vou conhecer outros poemas.