terça-feira, 25 de novembro de 2008

O CASULO- de Carlos Soares de Oliveira

Pedrinho era um menino triste. Não gostava de brincar, não tinha amiguinhos, vivia pelos cantos. Um dia num de seus refúgios, como um eremita mirim, entrou num bosque, sentou-se sob uma árvore, encostou a cabeça nos joelhos e começou a chorar. Chorava de forma tão intensa que até as árvores, as flores e os bichos se contagiaram e ficaram tristes também; o esquilo chorou, o macaco não brincou, o passarinho não cantou, o castor nem se aproximou. Flores cabisbaixas guardaram seu perfume.

De repente uma voz suave murmurou:

-Ei, ei menino... por que chora?

Pedrinho nem respondeu, não queria falar com estranhos, continuou no seu mundo fechado, ensimesmado. Mas a voz insistiu:

-Ei, menino... não chore mais.Veja quantas coisas lindas à sua volta. Por que chora?

Pedrinho levantou a cabeça procurando ao redor quem falava, mas não viu ninguém. Ficou um pouco assustado e perguntou:

-Quem é você? Quem está aí?

Então uma grande e linda borboleta, toda colorida de azul, branco, vermelho, amarelo, era um arco-íris de asas, se apresentou com uma voz mais meiga ainda.

- Sou eu, uma borboleta.

-Nossa, como você é linda! Posso tocar em você? – entusiasmou-se Pedrinho estendendo a mão.

- Claro- respondeu a borboleta pousando naquela frágil mão... e cobrou.

- Por que estava chorando? Não gosto de ver ninguém chorando, menos ainda, crianças.Crianças existem para sorrir, brincar, estudar.

-Não está vendo estampado no meu rosto como sou feio? Olha meu nariz como é grande. E essas bochechas horríveis. Tenho pés grandes, ando até torto. Minha voz é esquisita (qualquer semelhança com o autor é mera coincidência). Tenho até vergonha de olhar para os outros com esses olhos esbugalhados.

-Ora, ora menino. Nada disso é importante, nada disso merece uma lágrima. O que importa é a beleza do seu coraçãozinho. Se você é um bom menino.Você me acha linda, não é?

-Acho sim, demais- disse Pedrinho ainda enxugando o rosto

-Pois olhe atrás de você nessa árvore. Veja esse casulo. Dentro dele existe uma lagarta cabeluda, cheia de pernas, asquerosa, que dá até medo nas pessoas.Nem por isso ela é triste, pois sabe que é parte da natureza, a perfeição que Deus criou, com tantas diferenças se encaixando. Antes de ser essa borboleta linda, eu era uma lagarta feia e vivia num casulo também. Eu me transformei. As pessoas devem se transformar.

Nisso, Pedrinho sentiu que a tristeza foi saindo aos poucos, foi ficando aliviado e até esboçou um sorriso de canto de boca.

- Como assim... transformar?

- De dentro para fora. Quando você estava triste, tudo à sua volta também estava. Se for pra contagiar, por que não de alegria? Metamorfose é respeitar as pessoas, as diferenças, as raças, as crenças. Não fraquejar diante de derrotas, aprender a caminhas com elas. Ser humilde nas vitórias. Dar chance às pessoas. Ajudar a quem precisa. Fazer o bem sem esperar recompensas e aplausos. Acordar de bom humor, abrir a janela e dizer: Bom dia sol! Bom dia vizinho! Bom dia Deus! Abrir os braços abraçando o mundo. As pessoas vivem dentro de casulos e não sabem, fechados, escuros, sendo que o mundo lá fora é tão brilhante. São estrelas e não sabem.Sorriso não tem preço. Venha, siga-me. E saiu voando.Pedrinho foi atrás. Seus olhos pareciam duas pepitas, reluzentes, sem lágrimas. Saiu correndo, pulando, como uma criança de verdade. Chegando à beira da rua a borboleta continuou.

- Veja quantas crianças. Como brincam, como são felizes. Vá brincar também.

Pedrinho olhou para a nova amiga jogando um beijo no ar e disse:

-Muito Obrigado! Estou me sentindo lindo!- e saiu correndo em direção à meninada.

- Missão cumprida-pensou a borboleta e voou para longe, quem sabe para salvar outros meninos.

Era uma vez um menino triste... era, não é mais.

Mais um casulo se quebrou.



CARLOS SOARES DE OLIVEIRA

Um comentário:

Anita Fonseca disse...

Lindo demais. Parabéns.

Anita.