segunda-feira, 13 de outubro de 2008

LEMBREI DE VOCÊ & A CACHAÇA DO TEMPO- de Carlos Vilarinho

LEMBREI DE VOCÊ

Hoje lembrei de você, nesse domingo postado de mesmice.
Seu olhar impregnado de incertezas reprova minha ânsia de amar-te.
Hoje lembrei de você, só nós dois naquele banco de fumante.
Desejo de corpo e produzir arte.
Hoje quis seu beijo, te olhar em silêncio oculto só em respiração de amante.
Hoje lembrei de você, seu umbigo e seus pêlos que nunca vi,
Seu rosto inchado de sono, seu olhar de Padilha infante...
Seu pulsar úmido, seu gemido que pensei ouvir.
Hoje pensei em você e seu gozo enfurecido,
Seu som arquejante e desfalecer o sentido...
Por fim, solucei,
E gotas vitaminadas deixaram o meu sonho...






A CACHAÇA DO TEMPO

A cachaça que domina,
O tempo que escraviza.
O vício que difama.
Entorpece.
A linha tênue da mão.
O gole que demorou no tempo.
A tarde que adormece.
A cabeça que roda.
Por que não corres da raia e andas na linha,
Em equilíbrio torto?
Especula e gasta o tempo
Ao vê-lo passar,
Sem dor perfeita de destruição.
O copo perplexo de boca larga
Espera a outra boca ávida
Cheia de angústia a beijá-lo.
O beijo da vida e da iminente
Morte...

Um comentário:

Gerana disse...

Gostei. Principalmente do segundo.