quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

ESPELHO
Tratar com destreza,
Ternura e carinho.
Singelo sem pobreza.
Letras e sílabas
Costuradas em linho.

Construir imagens
Comer pão e carne
Beber água e vinho.

Sonhar e enrubescer

Distorcer, fantasiar,
Denegrir.
Tergiversar, engendrar,
Mentir.
Sustar, imputar, assacar.
Enegrecer.

Amor turvo,
Ódio doente.
Ódio curvo,
Amor latente.

19/02/08
Carlos Vilarinho

3 comentários:

tita coelho disse...

hummmmm adorei! Gostei da contradição que está na poesia... "tratar com destreza amor e carinho..." "Mentir, sustar, atacar..." Gostoso de ler tua poesia, " Amor turvo ódio doente" " ódio turvo amor latente"....Adorei isso! Ficou perfeito!!
Deixa te mostrar outro blog de poesias meus o www.ensaiosamadores.blogspot.com
Beijos

tita coelho disse...

oi,
vim te ler mais um pouco e te convidar para publicar um dia no esperas, o que quiser...Tu vai ser o convidado desse mês! Me manda um e-mail se tu quiser! leticia.lo.coelho@gmail.com
Beijos

Alba disse...

Nem sempre o espelho reflete o que mostramos...às vezes tomamos banho, penteamos a cabelereira, faz-se a barba, maquia-se...mas lá no fundo, por debaixo do verniz, sempre estará aquilo que não se diz:

"Tratar com destreza,
Ternura e carinho.
Singelo sem pobreza.
Letras e sílabas
Costuradas em linho.

Construir imagens
Comer pão e carne
Beber água e vinho."

Sempre soube da sua leveza...não tenha medo, deixa essa poesia que tem dentro de vc nascer...amei a data desse parto.
bju
Bella