domingo, 26 de julho de 2009

DESPEDIDA DE MIM

Quando me olhei de relance, no espelho da janela do quarto, vi a vida que passou por mim...
Deixando suas marcas
Cravando suas estacas
Na minha pele
Nos meus olhos
Na curva do meu sorriso
Vi a menina de doze anos me acenando de dentro de mim...
No reflexo do meu rosto no espelho, vi minhas idades passearem em frente a mim...
No espelhar da minha imagem de hoje, revi lances de quem fui...
Tentei fixar a visão, mas tudo flutuou e recolheu-se como uma ostra dentro da concha.
Prendi a respiração por um minuto, mas a imagem guardou-se dentro de uma parte funda em mim...
A saudade agora molha meu rosto, antes de menina e agora de mulher...
Muitos dizem que escondo minha verdadeira idade,
Mas tudo que vivi está misturado dentro de mim
E na gangorra dos anos, passo e repasso a lição de tudo que aprendi, de tudo que vivi, de tudo que jamais esqueci...
Mas as dúvidas persistem:
Sou eu mesma fora de mim, quando não me reconheço dentro de mim?
Sou inteira dentro de mim, quando só vejo por fora, partes de mim?
Sou apenas feita de papéis: de filha, irmã, namorada, amiga, amante, mulher, mãe...
Onde estou eu? Para aonde vou eu? Quem sou eu?
Só sei que quando vejo minha imagem no espelho, já não me reconheço mais no presente, absurdamente me revejo em tudo que já fui e sinto-me despedida de mim.


Alba Bagdeve
19/04/08.

5 comentários:

Gerana disse...

Muito bom, com o tempero da melancolia.

Anônimo disse...

IHHH..Que texto LINDOO....Minha tia é muito poética...AMEEI..Bem reflexivo!!!
=)

=***
Lai

Anônimo disse...

Olá , amigo poeta. VC. não é nada coruja , realmente o poema é lindo e a mensagem emocionante. Seria bom se ela organizasse um livro e vc. fizesse o prefácio. LEGAL!!!!!

Vilma

ediney disse...

vc é um bom poeta

Mandrágora disse...

doeu fundo...............
muito linda!!!!!!!!!